Vinho emagrece diz pesquisa científica

Os resultados desta pesquisa devem deliciar os amantes do vinho. Conduzido pela Washington State University, nos Estados Unidos, o estudo conclui que um dos princípios naturais do vinho tinto limita o ganho de peso. O que vai te aliviar da culpa para acompanhar o seu jantar com um pouco de tinto.

O resveratrol é o melhor aliado do corpo?
As propriedades milagrosas do vinho são devidas à alta concentração de resveratrol. Este ingrediente ativo natural pertence à família dos polifenóis encontrados em muitos alimentos, incluindo grãos de cacau, amendoim e a maioria das frutas, como cranberries, mirtilos e … uvas! A concentração de resveratrol é particularmente alta na casca da uva vermelha, razão pela qual ele é encontrado em quantidades significativas no vinho tinto.

“Os polifenóis nas frutas, principalmente o resveratrol, aumentam a expressão gênica que promove a oxidação da gordura da dieta para que o corpo não fique sobrecarregado”, disse o professor Min Du. Concretamente, os polifenóis permitem que o corpo queime lipídios na forma de calor e, assim, ajudam a manter o equilíbrio do corpo.

Resultados notáveis sim … mas em ratos
O estudo da Universidade de Washington é promissor e corre o risco de reconciliar alguns com as dietas. No entanto, sua interpretação deve ser relativizada, visto que a pesquisa foi realizada em camundongos. Eles foram colocados em uma dieta rica em gordura, metade do grupo também recebeu o equivalente a 340 gramas de resveratrol por dia. Este último teve 40% menos peso do que os ratos que não o fizeram.

Embora estudos anteriores tenham sugerido que o resveratrol poderia ajudar a prevenir a obesidade, a maioria deles o usava em concentrações muito altas, muito mais do que um ser humano pode consumir durante uma dieta alimentar normal. O estudo da Universidade de Washington desta vez mostra que ratos alimentados com uma dieta contendo resveratrol a 0,1% foram capazes de processar o excesso de gordura e queimar parte dela.

O “paradoxo francês”
Seu benefício antidiabético não é a única ação notável do resveratrol. Ele também é creditado com propriedades antiinflamatórias e anticâncer. Ele estaria, portanto, na origem do “paradoxo francês”: o consumo moderado de vinho tinto permitiria que os franceses fossem relativamente pouco propensos a problemas cardíacos, apesar de uma dieta rica em gordura. Vários estudos, incluindo um conduzido pela Inserm em 2010, mostraram de fato que o resveratrol atua no corpo como um agente preventivo contra doenças cardiovasculares, bem como certos tipos de câncer.

“Apesar das propriedades do resveratrol, beber vinho não trata câncer ou inflamação”, lembra Norbert Latruffe, professor de bioquímica da Universidade de Burgundy, que liderou o estudo Inserm em 2010. Quanto ao nexo de causalidade com a perda de peso demonstrada por no estudo americano, os efeitos impressionantes do polifenol até agora só foram comprovados em ratos e não se sabe se um consumo comparável de resveratrol teria o mesmo benefício no homem. Entretanto, o prazer de saborear um bom vinho com moderação permanece intacto. Santé.

Originalmente publicado no jornal francês Le Dauphiné.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: